Por que os gritos prejudicam tanto as crianças?

Educar nossos filhos é uma tarefa bem desafiadora. Soma-se a ela o estresse do dia a dia, falta de tempo para realizar nossas atividades e a cobrança para darmos conta de tudo. Diante disso, é inevitável que escapem alguns gritos quando os pequenos não querem cooperar conosco.

Após uma sessão de gritos, temos que lidar com a culpa. Mas será que essa é a única consequência dos berros? Infelizmente a resposta é não!

 Consequência dos gritos nas crianças


  • Desequilíbrio emocional: Gritos constantes podem fazer as crianças ficarem o tempo todo em estado de alerta, achando que estão sempre em perigo. Elas podem ficar com a expectativa de que irão ser agredidas fisicamente a qualquer momento, tornando-se crianças nervosas e com medo dos próprios pais.

 

  • Perda de efeito: Com o passar do tempo, os berros podem perder o efeito. Os pais já não conseguirão “disciplinar” seus filhos por meio deles. Além disso, como as crianças tendem a reproduzir as atitudes dos pais, elas também irão gritar quando tiverem oportunidade.

Um estudo conjunto da Universidade de Michigan e a de Pittsburgh, publicado na revista Child Development, constatou que adolescentes de famílias que tinham gritos como forma de educar desenvolveram diversos problemas de conduta, diferentemente dos de famílias sem gritos. Esses problemas vão desde dificuldades no aprendizado, sintomas de depressão, brigas na escola até pequenos roubos em lojas.

Como se livrar dos gritos?


Talvez acabar com os berros de uma vez por todas seja uma tarefa bastante difícil, mas se você conseguir dar uma boa reduzida já será um grande avanço.

Faça uma lista de alternativas que você pode aplicar quando as crianças começarem a sair do controle.

Essas alternativas podem ser:

1. Rotule o comportamento: explicar à criança que ela está tendo um comportamento ruim, dizendo que o que ela está fazendo é feio ou coisa boba. Mas lembre-se, o rótulo tem que ser para o comportamento NUNCA para a criança. Você pode dizer por exemplo: Você é tão esperto e fazendo uma coisa tão boba!

2. Mude o Foco: Quando a criança começar a fazer uma birra ou qualquer outro comportamento errado, introduza uma atividade que chame a atenção da criança, fazendo ela esquecer que estava fazendo a birra. Isso funciona muito bem!! 🙂

3. Suspenda de atividades: Informe à criança que se ela continuar agindo de forma inadequada terá consequências como, por exemplo, não poder brincar com algum objeto, ficar sem ver TV, etc. Não esqueça cumprir a suspensão e explicar o porquê daquele comportamento ser indesejado.

4. Dê um tempo para você: Quando a situação fugir totalmente do seu controle e você sentir que vai estourar, respire fundo e, se puder, diga a seu filho que precisa de um tempo e saia de perto dele. Depois, com mais calma, converse com a criança.

Eliminar os gritos e os berros deve ser um lema voltado ao fortalecimento da relação entre pais e filhos. Afinal de contas, não queremos que nossos filhos tenham medo de nós e sim respeito e amor. Pense nisso!!! 😉

 

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe com seus amigos.

Precisando melhorar as notas do seu filho na escola?

Doutor Sabe Tudo – O melhor reforço escolar em domicílio!

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial